Como usar o LinkedIn

Por Gabi Gonçalo

Co-autora do livro Social Selling 4.0, gerente de marketing da Netshow.me, empreendedora e consultora para empresas de tecnologia e inovação. Em 2018, foi escritora destaque indicada pelo Linkedin Brasil.

O LinkedIn é a melhor ferramenta para trabalhar a sua marca pessoal e se posicionar no mercado. No primeiro artigo desta série, vimos algumas dicas de como montar o seu perfil e deixá-lo otimizado às boas práticas da rede social. Agora, é hora de falar sobre as próximas etapas para você usar a plataforma. Vamos nessa?

Como montar a rede de contatos no LinkedIn

Após organizar seu perfil no LinkedIn, o passo seguinte é montar sua rede de contatos na rede social. Existem duas maneiras de adicionar usuários à sua lista:

  • Seguir: aqui, todos os posts e atualizações da pessoa aparecerão no seu feed;
  • Conexão: nesta opção, você adiciona o usuário e ambos podem ver conteúdos postados e atualizações um do outro, além de enviar mensagens diretas.

Você pode simplesmente adicionar profissionais à sua rede e torcer para aceitarem sua solicitação. Existem ferramentas para auxiliar este processo, são elas:

  • Introdução por meio de uma conexão: caso você possua um contato entre as conexões do usuário, é possível pedir uma indicação a esta pessoa;
  • Inmail: quando não há nenhuma conexão em comum, existe a possibilidade de enviar uma mensagem direta. Você possui uma quantidade limitada de inmails por mês, dependendo do seu plano.

Quem devo adicionar às minhas conexões

Agora é só sair adicionando todo mundo? Cuidado. Para iniciantes, o LinkedIn possui restrições no que diz respeito às conexões. A rede tenta entender como você conhece a pessoa a ser adicionada, ou seja, se há um relacionamento existente – seja ele acadêmico ou profissional.

E sabe o que acontece se você enviar uma solicitação e ela for rejeitada? O LinkedIn pode punir você. Como? Usuários com muitos pedidos de conexões rejeitados são classificados como robôs ou spammers e, desta forma, tem a conta restringida – e isso não é o que queremos.

Lembre-se: é necessário estar conectado às pessoas certas, reconhecidas como autoridades no setor em que estão inseridas. Isso aumenta a sua credibilidade no nicho e facilita o seu processo de conseguir adicionar usuários na rede social. Afinal de contas, ver que você é uma conexão de segundo ou terceiro grau passará maior segurança para quem você adicionar.

Abaixo, segue um guia de como adicionar usuários à sua rede de contatos. Como começar? Confira:

  1. Amigos e profissionais conhecidos: o primeiro passo é se conectar com pessoas que você conhece por se tratarem de usuários mais propensos a aceitarem sua solicitação de conexão;
  2. Antigos e atuais colegas de trabalho: além de conhecidos, é importante procurar pessoas com quem você já trabalhou. Por se tratarem de profissionais do seu nicho, isso aumentará a chance de conexões de segundo ou terceiro grau;
  3. Fabricantes e parceiros estratégicos: além dos profissionais com quem você já atuou, você precisa buscar conexões com parceiros estratégicos. Ou seja, são usuários com quem você faz negócios e podem abrir ainda mais portas – independentemente de você conhecê-los ou não;
  4. Clientes: seguindo o gancho do item anterior, possuir conexões com clientes que já consumiram seu produto ou serviços é mutualmente benéfico;
  5. Influenciadores: pessoas relevantes no seu nicho e com a posição de influenciadores são importantes para a sua rede. No entanto, existe um limite de conexões e elas podem não adicionar qualquer usuário caso não considerem relevantes;
  6. Clientes potenciais: pensando no lado comercial da coisa, é possível utilizar o LinkedIn para adicionar possíveis clientes. Para isso ser feito de maneira bem sucedida, é necessário ter uma rede sólida e passar credibilidade aos usuários.

Qual tipo de conteúdo compartilhar?

O LinkedIn, assim como todas as outras redes sociais, permite que você poste o conteúdo que desejar. No entanto, é necessário levar em consideração a importância de fazê-lo de maneira estratégica e, por isso, nem todo tipo postagem é recomendado.

Lembre-se: seu perfil no LinkedIn é um investimento na sua marca pessoal. Desta forma, todo o conteúdo postado e compartilhado precisa estar alinhado com seus objetivos na rede.

Ou seja, é importante pensar bem antes de postar no LinkedIn. Fale sobre tendências do seu nicho, compartilhe a rotina profissional, disserte pensamentos e até divulgue eventos em que participará. O importante é se posicionar como um usuário de valor no mercado.

Como acessar as vagas de trabalho

Além de estabelecer sua rede de contatos profissionais, o LinkedIn é uma plataforma útil para visualizar vagas de emprego – inclusive superando sites dedicados a isso. Como assim? Para justificar a cobrança dos planos de assinatura, estes portais mantêm oportunidades já preenchidas nos resultados de busca.

Já o LinkedIn não passa por este problema, afinal de contas trata-se de uma plataforma gratuita. Apesar de oferecer planos pagos através do LinkedIn Premium, não é necessário abrir a carteira para procurar trabalho na rede social. Quer saber como fazê-lo? Confira:

  1. Acesse a aba vagas, localizada no canto superior da tela;
  2. Na barra de busca, você deverá preencher o cargo desejado e sua localidade;
  3. Após isso, as vagas aparecerão. Você pode clicar em todos os filtros para alterar os critérios da busca. É possível filtrar os resultados com base na data do anúncio, recursos do Linkedin como candidatura simplificada, oportunidades na sua rede ou até com menos de 10 candidaturas. Você também pode escolher o tipo de vaga, ou seja, carga horária e tipo de contrato, nome e setor da empresa, função, nível de experiência necessário, nome do cargo e até trajeto;
  4. Após mexer nos filtros, você deve clicar em aplicar para o sistema filtrar as vagas como desejado.

A busca mostrará todas as oportunidades disponíveis para você se candidatar. Também é possível seguir empresas de interesse e acessar as vagas em suas respectivas company pages. Na aba lateral, você encontrará a seção vagas e, nela, verá todas as que estão abertas.

Quando você abrir uma vaga, será possível visualizar a descrição da oportunidade e seus pré-requisitos. Você pode até pedir referência para uma conexão que trabalhe na empresa.

Na hora de se candidatar, algumas empresas permitem a candidatura simplificada, ou seja, os dados de seu perfil são enviados ao recrutador. Caso o recurso não esteja liberado, é só clicar em candidate-se e preencher todas as informações solicitadas – às vezes, é aberta uma página externa.

No próximo artigo, vamos falar sobre quais funcionalidades e ferramentas você pode usar para turbinar ainda mais o seu perfil. Quer levar seu networking ao próximo patamar? Vamos abordar os grupos e algumas soluções como Slideshare e LinkedIn Learning. Mas, por enquanto, que tal comentar abaixo como as dicas que já demos te ajudaram a aprimorar seu posicionamento na rede?

Este é o segundo texto de uma série de posts,
continue acompanhando para conferir mais dicas sobre o LinkedIn.
Acesse o primeiro texto: Como montar um perfil legal no LinkedIn