Conheça os cursos superiores mais procurados no Brasil

Apesar da variedade de cursos superiores oferecida pelas instituições de ensino, carreiras tradicionais têm destaque na busca dos candidatos

O catálogo de cursos de graduação tem aumentado cada vez mais nas instituições de ensino, para atender alunos com diferentes propósitos e perfis. Mas, sabe o que é mais curioso? Os cursos superiores que formam para as carreiras mais tradicionais estão entre os mais procurados pelos estudantes.

A constatação integra o Mapa do Ensino Superior no Brasil de 2020, realizado pelo Instituto Semesp, que reúne um grupo de mantenedoras de instituições de ensino. O levantamento foi feito com base no Censo da Educação Superior de 2018.

O Brasil possui 37.962 cursos de graduação, de acordo com o censo. Entre eles 22.737 estão na modalidade bacharelado, 7.415 em licenciatura e 7.810 são tecnólogos.

Na liderança entre a preferência dos estudantes da rede particular de ensino superior, na modalidade presencial, está o curso de Direito, com o maior número de matrículas disparado: 776,9 mil. Além de permitir que o profissional atue como advogado, depois de aprovado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a carreira pode ser um caminho para quem busca um concurso público para se tornar promotor ou juiz, por exemplo.

Em segundo lugar, aparece Administração, com 357,2 mil matrículas. O curso prepara profissionais para gerenciar um negócio sob diferentes aspectos, desde a área pessoal até a financeira. A formação proporciona um campo de atuação amplo e habilita, inclusive, os interessados em empreender.

Na sequência, aparece Enfermagem (256,5 mil). Com o aumento da expectativa de vida do brasileiro e o consequente envelhecimento da população, as profissões relacionadas ao cuidado e oferta de bem estar terão cada vez mais importância.

Engenharia Civil, com 249,9 mil matrículas, aparece em terceiro lugar. Capaz de projetar, gerenciar e executar obras e construções, o engenheiro civil será sempre essencial enquanto houver obras. Por mais que haja automação, o pé na obra ainda é e continuará sendo fundamental.

O curso de Psicologia (233,7 mil) aparece como o quinto mais procurado. Seu mercado de trabalho não está restrito aos consultórios e sessões de terapia. Um psicólogo também é requisitado em departamentos de recursos humanos de empresas, além de hospitais e ONGs.

Em sexto lugar está o curso de Contabilidade, com 183,3 mil matrículas. Um contador tem um vasto mercado de trabalho pela frente porque seu trabalho é necessário em empresas de todos os portes para verificar e controlar receitas, lucros e despesas.

Em seguida vem Pedagogia (176,1 mil), que prepara o profissional para atuar em diversas áreas da educação, seja como professor ou gestor. Fisioterapia (156,7 mil) é o curso que está em oitavo lugar no ranking de procura pelos alunos. Assim como o enfermeiro, o fisioterapeuta também pode ser um profissional muito requisitado no Brasil, com o aumento de sua população idosa. Esse profissional pode atuar ainda com saúde preventiva, do trabalho e na área de esportes.

Arquitetura e Urbanismo (137,5 mil) é o nono curso mais procurado. O arquiteto é parceiro do engenheiro civil na construção civil, e trabalha gerenciando mão de obra e custos.

O décimo curso mais procurado pelos alunos na rede privada é o de Educação Física, com 113,1 mil matrículas. Esse profissional pode tanto estar voltado para a área de esportes e fitness, se optar pelo bacharelado, ou se tornar um professor, se concluir o curso de licenciatura. Ele passa a ganhar ainda mais importância à medida que a população entende a prática de exercícios físicos como forma de garantir qualidade de vida.

Vale lembrar que os cursos mais procurados são os que recebem o maior número de inscrições, independentemente da quantidade de vagas disponibilizadas. É diferente dos considerados mais concorridos, que são aqueles que possuem maior número de inscritos em relação ao total de vagas oferecidas.

 

Movimento cíclico entre cursos superiores mais procurados

“É perceptível uma demanda cíclica por cursos superiores. No começo do século, os cursos de saúde dominavam entre os mais buscados. Mas, quando veio o boom da economia e o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento, programa do Governo Federal lançado em 2007 com foco no desenvolvimento da infraestrutura brasileira), as diversas áreas da engenharia acompanharam e passaram a liderar”, explica Carol Sarmento, diretora Comercial e de Marketing da UniSociesc.

Hoje, em um período muito mais conturbado da economia brasileira, o cenário se reverteu, e a saúde voltou a aparecer como soberana, representando 40% dos 10 cursos mais procurados do país – enfermagem, psicologia, fisioterapia e educação física.

No caso da UniSociesc, o movimento se repete. Odontologia, Medicina Veterinária e Enfermaria, todos na área de saúde, são três dos cursos que mais apresentaram alta de procura nos últimos anos.

 

Procura se repete nos cursos EAD

O Mapa do Ensino Superior aponta que, se avaliados só os cursos oferecidos na modalidade EAD na rede privada de ensino, Pedagogia, Administração e Contabilidade se repetem também como os mais procurados pelos candidatos. Aparecem ainda entre as cinco opções mais procuradas Gestão de Pessoas e Serviço Social.

Direito e Administração também estão entre os cursos mais requisitados pelos candidatos que disputaram vagas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) no ano passado. O sistema utilizado pelo Ministério da Educação usa as notas dos candidatos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para distribuir vagas nas instituições de ensino superior públicas.

 

Medicina é muito procurada na rede pública

O curso de Medicina, que é tradicionalmente muito concorrido, figura entre os cursos mais procurados se considerada somente a rede pública, de acordo com o Mapa do Ensino Superior. Ele aparece como a quarta opção mais procurada, com 58,6 mil matrículas.

Entre as instituições de ensino públicas, o líder do ranking de inscritos é o curso de Pedagogia (93,6 mil matrículas), seguido por Direito (86 mil) e Administração (75,9 mil). Além de Pedagogia, outras carreiras ligadas à formação de professores, como Biologia e Matemática estão entre as dez mais procuradas, de acordo com a pesquisa do Semesp.

 

Distante da meta do PNE

Atualmente, o Brasil possui 8.450.755 estudantes matriculados no ensino superior, sendo 6.373.274 na rede privada e 2.077.481 na pública. A taxa de escolarização líquida do país, que mede a concentração de adultos de 18 a 24 anos matriculados no ensino superior, é de 17,9%, considerada baixa. Para ser ter uma ideia, o Plano Nacional de Educação (PNE) estabeleceu como meta o percentual de 33% a ser atingido até 2024.