UniSociesc Florianópolis sediou a maior competição de Direito Internacional do mundo

Disputada neste ano na UniSociesc Continente, em Florianópolis, entre os dias 13 e 15 de fevereiro, e organizada pela International Law Students Association (Ilsa), a Jessup Competition reuniu diversos times de alunos de Direito. De forma geral, trata-se da maior competição de corte simulada do mundo, contando com a participação de 3 mil alunos de 700 faculdades espalhadas por 100 países (alunos das UniSociesc tiveram o privilégio de acompanhar cada passo do concurso na Capital). A disputa foi uma simulação de um julgamento perante uma Corte Internacional de Justiça, órgão judicial das Nações Unidas, no qual as equipes têm como base um caso fictício que engloba importantes e complexas questões de Direito Internacional.

Na Capital, a competição abordou a sucessão de tratados, sistema de armas letais autônomas, ministros de governo acusados de crimes de guerra e potenciais conflitos de jurisdição entre a Corte Internacional de Justiça e a Organização Mundial do Comércio.

“Estamos sempre em busca de parceiros que tenham a mesma visão que a nossa, que é a promoção do estudo e da pesquisa do Direito Internacional. Por isso, fizemos o evento neste ano na UniSociesc. Eles compartilham de nossos valores. Entendem a importância dessa experiência na vida acadêmica dos estudante de Direito”, avalia Rafaela Hörmann, administradora nacional do Jessup.

A rodada internacional acontece todos os anos em Washington D.C. (EUA), após a qualificação dos times nas rodadas nacionais.

“Para nós foi um grande orgulho sediar essa competição. Ações como essa tangibilizam a nossa proposta acadêmica que consiste em promover uma compreensão global do conhecimento para além da sala de aula”, comenta Rachel Ballardin, diretora da UniSociesc Florianópolis.

A Jessup Competition Brazil foi julgada por uma elite de profissionais do direito, formando uma corte internacional, que se voluntaria para avaliar os estudantes que representaram suas universidades, atribuindo pontuações aos times com relação aos argumentos orais todos feitos em inglês.

“A Jessup possibilitou apresentar aos nossos alunos as oportunidades e as conexões com o mundo do trabalho onde poderão vivenciar a realidade profissional a partir da simulação de um julgamento perante a Corte Internacional de Justiça”, completa Ballardin.

 

Fotos: Leonardo Rosa.